The true story # 8

            A cada passo que dava eu só pensava como era possível, quais seriam as probabilidades de uma cena destas acontecer, é tipo tão, 'epic movie'. Credo, estava a raciocinar demais e isso não era de facto algo que pode-se favorecer-me. Tenho tendência a dizer merda quando estou atrapalhada, algo típico de nerd's. Acho que nunca perdi aquela parte do meu passado. Por mais roupas, tintas de cabelo e maquilhagem que eu tivesse usado, existem traços que jamais poderão ser apagados, mesmo que queiramos muito. Nem sempre fui adorada por todos, mas aprendi a vingar nesta sociedade repleta de gente ignorante, ou talvez, gente que se faz de ignorante. Sim porque o que mais há é gente a fazer-se de burra para obter os seus fins. Eu prefiro não abdicar da minha inteligência seja pelo que for. Subitamente lembrei-me entre pensamentos que o Tomás ainda não, havia chegado, irmão do Chico. Who cares! Eu queria é saber o nome daquele naco de carne que me fazia passar noites na excitação. À medida que andava, parecia que ia travando como uma bicicleta empenada que anda aos soluços. O Chico apercebe-se, e mete o seu braço em cima dos meus ombros e disse-me ao ouvido: 'Precisas de uma motivação minha parva?' e deu-me uma palmada no rabo que me levantou no ar. Aquele atrevido de merda, tinha-me deixado bem na frente daquele pedaço de mau caminho que eu tanto desejava. Olhei para trás lançando-lhe um olhar de morte, e esperando que ele me lê-se o pensamento 'VAIS PAGÁ-LAS MEU CABRÃO!!'. Voltei de novo a cara e lá estava ele, esboçando um sorriso como no primeiro dia, como se estivesse à espera que eu dissesse algo. Aposto que me queria fazer pagar pela forma como o tratei na estação. Decidi colocar os medos de lado, porque não me serviam de nada não é, e épá, não me poderia sair nada mais estupido como:
          -Tens mortalhas? - Esbocei aquela cara de embaraço imensamente estúpida, na esperança que ele se desse satisfeito por eu ter passado por uma idiota chapada! Virei a cabeça para o lado para ver se me ocorria algo mais inteligente para dizer, e nesse instante, numa troca de passos ele coloca-se na direcção do meu olhar com uma mortalha na mão. Exibia-a com satisfação, e bem via que estava morto de vontade de gozar comigo. Nem pensei duas vezes e comecei logo a disparar.
           -Que é? Tinha de dizer algo não é, já que o teu rico amigo fez questão de me fazer passar a segunda vergonha da noite. -Começava a ficar um pouco frustrada, odeio que me ponham nestas situações. Parece que a minha rica inteligência vai para todos os lados, menos para onde deveria ir. Para a minha língua, só para dar aquelas respostas tortas que por vezes me saem por impulso quando me apetece mandar tudo para o caralho.
           -Oh, podias ter dito qualquer cena do tipo: DEVOLVE-ME AS MORTALHAS! Com esse teu humor magnifico que deixa qualquer um maravilhado. Sabes é quase impossível haver tanta má vontade numa só pessoa, nem sei como consegues! - Dizia ele com aquela cara angelical, não de beleza, mas sim de puro gozo. 
           -E então? Estás à espera do quê para mas dares? - Disse eu não cedendo, e elevando a sobrancelha, lançando-lhe um olhar provocante, e desafiador.
           -Não seja por isso, tome senhorita as suas mortalhas, não vá dar-lhe um ataque de histerismo aqui no meio da estação! - Ai foi a gota de água e nem pensei duas vezes.
           -E se enfiasses essas belas mortalhas pelo olho do cu acima e parasses de me foder o juízo? Credo, coisinha irritante que me sais-te. Get a life, you're booring! - O que fui eu dizer, acho que neste instante eu me apercebi, que ele era mais inteligente do que eu, e que tinha uma certa capacidade para fazer jogos psicológicos, e que o pior de tudo, os ia fazer comigo. Porque nesse instante ele deslocou-se um paço para a frente. Ficou como que colado a mim. Fixou o olhar dele no meu, e disse: 
           -Será que sou entediante mesmo? Ou existe algo em mim que te deixa fora de ti? Queres que descubra ou dizes-me tu doce? -Estava a ficar realmente intimidada com a situação, porque nunca na vida pensei que isto me fosse acontecer não é. Mas afinal o que vinha a ser aquilo, já não parecia a minha vida, mas um enorme filme, wtf!! Ainda assim eu não me verguei pois se é jogo psicológico que ele queria era isso que ia ter. Havia acabado de comprar uma guerra comigo, e digo desde já que nao ia ser eu a perde-la. E que raio! Ele chamou-me de doce com alta cara de gozo!! Oh sweetys, não sabem metade da peça que sou tanto que fiz o que ele menos esperava. Num acto espontâneo apertei-lhe os tomates e não retirei a mão, ela continuava lá a apertá-los sem o aleijar não é, sabemos que é uma zona critica. Ele mordeu os lábios com um medo tremendo que eu aperta-se mais. Ele estava nas minhas mãos, ninguém à nossa volta se apercebia do que se estava suceder, estavam demasiado entretidos a planear a noite. Aí, eu coloquei a minha boca  bem perto da sua orelha e sussurrei :
           -Podes descobrir fofusco, não te garanto é que saias inteiro dessa aventura. Sabes a cidade é uma selva, há sempre um predador à espera para cravar os dentinhos nesse lindo cusinho que tens. É melhor ficares alerta, e não tenhas tanta certeza de quem é o predador e quem é a preza. - Recuei o rosto, fitei-o e ele ainda meio abisbilicoampestaférico trincava o lábio inferior. Pisquei-lhe o olho e fui ter com o Chico. Virei-me para trás:
            -Já agora, Scarlett, prazer! - Ele gaguejando disse:
            -Aaa..pois..Gui..Guilherme! - E fez aquele gesto do tipo, mas que raio se passa comigo, acabei de ser assediado/entalado por uma miúda. Já mais à frente com o seu grupo de amigos, gritei-lhe:
            -Não penses mais nisso doçura! - Ri-me, ri-me muito porque os amigos dele riram-se também, mesmo não fazendo ideia do que se havia passado. Apenas riam-se porque tinham o seu Qê de burros. Acontece. Entretanto aparece o Tomás, e estávamos prontos para uma noite longa! Não me arrependo do que fiz e sabem porquê? I'm a fucking bad girl!


Capitulo 7

13 comentários:

  1. OQUEI, OQUEI
    PERFEITO !

    ResponderEliminar
  2. tudo mesmo. desde a linguagem a forma como o construíste ! perfeito perfeito perfeito

    ResponderEliminar
  3. eu adoro assim.
    é isto que adoro no teu blog, sem papas na lingua. dizes tudo o que achas e pronto. amo, perfeito e um dos melhores, que mais se pode querer? (:

    ResponderEliminar
  4. Bem gostava de ser querida
    Adorei isto, adorei +.+

    ResponderEliminar
  5. espero entao que esse empurrãozinho venha rápido, e que seja forte (:
    Sim, mesm, está perfeito *-*

    ResponderEliminar
  6. depois de uma semana na minha viagem de finalistas que desde já saliento que foi bem fodida, chegar e ver que escreveste mais um capitulo, só mais um (-.-) mas mesmo assim muito bom, rapariga ;)

    ResponderEliminar
  7. olá :) andei em mudanças no blog e agora está de "cara lavada" se puseres dá lá um saltinho e deixa a tua opinião :)

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  8. Vem, ees v~em mais tarde ou mais cedo, só acho que o meu está destinado a vir tarde.
    Oha quem fala *-*

    ResponderEliminar
  9. só dizes asneiras. para mim o teu e o de mais algumas pessoas são os melhores e quando existe um post novo, vou logo. é que nem espero.
    e ja votei na sondagem e votei o melhor, claro. porque isto é perfeito.
    sim, e por isso mesmo é que já te disse que amo a tua personalidade, miúda c:

    ResponderEliminar
  10. ahaha acredita que eu sou muito parecida contigo, mas aqui no blogue tento conter-me xb

    ResponderEliminar
  11. Anónimo13:35

    Aleluia.. estava a ver que nunca mais continuavas isso... fodasseeee... :P
    BOA.. GOSTO TANTO... agora falto o 9º

    ResponderEliminar